COMO GANHAR DINHEIRO LENDO EMAIL

Ganhe dinheiro lendo e-mails! Trabalhe lendo e-mails, anúncios e ganhe dinheiro na internet! Cadastre-se agora através do meu convite!
http://www.e-clicky.net/herculano

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

A Igreja de Deus têm problemas


"Nenhum problema interno", o homem disse. E nossa primeira reação foi de admiração por esta igreja "ideal" que não conhecia nenhum problema. Mas com mais observação, nosso pensamento mudou.

A Bíblia fala de uma igreja que não tinha "nenhum problema". A igreja de Laodicéia era rica e abastada, e não precisava de coisa alguma (Apocalipse 3:17). Por outro lado, a igreja de Jerusalém estava enfrentando diversos problemas. Eles tiveram que testemunhar a morte de um casal hipócrita e mentiroso (Atos 5:1-11). Havia murmuração por causa da negligência das viúvas gregas (6:1-7). Havia problemas doutrinários sobre a questão da circuncisão (11:1-8; 15:4-5). Jerusalém tinha seus problemas enquanto Laodicéia estava "sem problema"; contudo cada estudante da Bíblia sabe que Jerusalém era a igreja aprovada, enquanto Laodicéia era nauseante para o Senhor.

E mais, quando se observa os problemas da igreja de Jerusalém, reconhece-se que eram conseqüência direta da obra e atividade daquela congregação. Se não tivesse havido o espírito de benevolência que prevalecia entre seus membros, não teria havido ocasião para a mentira de Ananias e Safira ou para as queixas de negligência. Se não tivesse havido evangelização de gentios não teria havido problemas com circuncisão. Jerusalém tinha problemas porque era uma igreja ativa e dedicada que crescia. E, é bem possível que a ausência de problemas em Laodicéia fosse uma conseqüência direta de sua falta de fervor e de vitalidade.

Concluímos que uma igreja preguiçosa, que nada faz, pode bem ficar livre de dificuldades, mas uma igreja ativa e operosa pode esperar certos problemas. Uma igreja que consegue converter alcoólatras, viciados em drogas, divorciados; que busca uma "mulher samaritana", ou um "Simão, o mágico", ou uma "Maria Madalena", pode esperar alguns problemas. Mas aquela igreja que escolhe a alternativa de pregar e converter somente os que são moralmente bons e que se ajustem bem em seu próprios círculos sociais e econômicos, enquanto evita alguns problemas, enfrenta o maior de todos eles em seu fracasso em obedecer o mandamento do Senhor (Marcos 16:15) e em seguir o próprio exemplo pessoal dele. Uma igreja que desenvolve pessoas pensantes que estudam objetivamente cada questão bíblica pode esperar que algumas diferenças apareçam em sua sincera busca da verdade. Uma igreja hospitaleira precisa estar preparada para acusações de negligência em sua mostra de hospitalidade. O verdadeiro zelo pelo Senhor gerará problemas, mas ai daquela igreja que negligencia a obra do Senhor para evitar questões. O anátema do Senhor está sobre essa igreja.

Não é a existência ou não existência de problemas, então, que determina a força de uma igreja, mas como lida com as suas dificuldades. Amor de uns pelos outros, cuidado mútuo, longanimidade, humildade, amor à verdade, determinação em fazer a vontade de Deus-- estas são as qualidades que fazem uma igreja forte. Elas não podem impedir que problemas se desenvolvam, mas podem capacitar uma igreja a levar seus problemas a soluções aprovadas por Deus.

por Bill Hall
www.estudosdabiblia.net

--

sábado, 28 de novembro de 2009

MARCAS DE DEUS


“Misericordioso e piedoso é o SENHOR; longânimo e grande em benignidade” (Salmo 103.8).

O Senhor Deus não somente tem misericórdia e piedade, mas também as pratica, pois todo Seu ser é cheio desses atributos. Além disso, o Criador é longânimo, o que significa que Sua paciência é algo que está sempre disponível para nós, da mesma forma que Sua benignidade. Essas marcas do Senhor fazem-nos sentir seguros, pois, se precisarmos dEle quanto a isso, Ele irá atender-nos.

É bom saber que nosso Deus é misericordioso e piedoso; Sua essência é composta dessas características. Com isso, por mais que usufruamos dessas qualidades, eles não se esgotarão. Assim como o Pai é eterno, Sua essência também o é. Temos de atentar para o fato de que o inimigo tentará vender-nos a ideia de que a misericórdia do Senhor acabou para alguns, bem como Sua piedade, no entanto, o Todo-Poderoso e tudo o que Ele é são inesgotáveis. Ele sempre estará pronto para atender os que dEle precisarem.

Ainda que sejamos infiéis, o Pai amado permanecerá fiel (2 Timóteo 2.13). A constituição de Deus não permite que, em qualquer caso, Ele aja de forma contrária ao que é. Se, em alguma situação, o Altíssimo deixar de ser misericordioso, estará negando a Si mesmo, e isso jamais acontecerá. Saber disso faz-nos um bem muito grande, pois, se necessitarmos de Sua bondade suprema, estamos certos de que seremos atendidos.

Quando nos afastamos do Pai celeste, Ele, por ser longânimo, nunca deixa de esperar pelo nosso retorno. Na parábola do filho pródigo, por exemplo, lemos acerca de um pai que estava sempre com os olhos no horizonte à espera do regresso do filho (Lc 15). Esse, ao retornar, alegrou o coração do pai e recebeu dele um tratamento que não merecia. O pai fez isso também por ser benigno; sua esperança e paciência pela volta do filho, que havia sido tolo, não tinham cessado.

Quanto à benignidade divina, não somos capazes de medi-la. Tudo o que podemos dizer é que ela é grande. Na parábola citada, mesmo o filho mais novo tendo levado a metade dos bens do pai e gastado tudo em orgias, foi aceito com festa e sem recriminações. Seu retorno era mais importante do que o prejuízo que causara.

Ao conhecer essas duas marcas evidentes do Senhor – misericórdia e piedade –, sentimo-nos mais seguros, pois, se alguma vez delas carecermos, temos certeza de que seremos atendidos. A parábola do filho pródigo, contada pelo Senhor Jesus, é a nossa certeza.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Está Amarrado em Nome de Jesus!

Tenho ouvido e lido muito a frase "Está amarrado em nome de Jesus!".
E me indago: "De onde saiu esta idéia?".
Cada vez mais as pessoas ouvem conceitos e os repetem sem análise.
Um grupo de pastores não batistas me convidou para lhes falar sobre pregação, numa manhã. Lá fui.
Discutiram depois sobre o aniversário da sua cidade e decidiram pedir ao Prefeito uma oportunidade para os evangélicos na ocasião. Solicitariam que todo o trânsito fosse parado, cessada toda a movimentação, e fariam uma oração, amarrando Satanás naquela cidade e declarando-a possessão do Senhor Jesus.
Afinal, a palavra tem poder e a vitória devia ser declarada. Foi um alarido de concordância geral.
Como visitante, timidamente, fiz uma pergunta a um deles: "Depois que vocês declararem Satanás amarrado nesta cidade e a declararem como sendo do Senhor Jesus, isso acontecerá realmente?". "Sim!", respondeu-me ele, titubeando. "Não haverá mais crimes, nem roubos, nem prostituição, nem drogas na cidade? Vocês podem afirmar isso?", retornei. Foi constrangedor.
Como não podia afirmar, o colega preferiu me achar incrédulo e pensar que tinham feito um mau negócio convidando um preletor batista tradicional.. Foi uma saída melhor do que pensar.
Aliás, pensar é problemático. Repetir chavão da moda é bem melhor..
Amarra-se Satanás com uma frase? Quem disse isto? Qual a base bíblica para esta declaração tão revolucionária? Porque, se verdadeira for esta interpretação, podemos amarrá-lo para sempre! Adeus, penitenciárias, crimes, pecados! Traremos o céu para a terra com uma simples declaração! Nem o próprio Jesus fez isso!
Tal idéia deve vir de Mateus 12.29 e Marcos 3.27 (deixo de lado Apocalipse 20.2 cuja análise não comporta aqui). Os dois textos tratam do mesmo evento.

Lucas 11.17-23 também narra o episódio, mas omite a declaração de Mateus e Marcos: "amarrar o valente". Convenhamos: a base é muito precária para estabelecer uma doutrina e uma prática tão revolucionárias.
Jesus havia feito uma série de curas, conforme Marcos. A que mais impressiona Mateus é a do endemoninhado cego e mudo. Era o cúmulo da desgraça: não ver e não falar, além de ter demônios. Jesus o curou. Atônitos, sem ter o que dizer, os fariseus o acusaram de agir por Belzebu, divindade cananéia, cujo nome significa "Baal, o príncipe". Esta definição do nome Belzebu fica bem clara em Marcos 3.22. Para os fariseus, Jesus não estava agindo nem mesmo por um demônio conhecido, mas por divindades estrangeiras.
A resposta de Jesus, como sempre, é admirável. Se ele estivesse mancomunado com Satanás ou Belzebu (uma "divindade" pagã, para ele, é demoníaca) seria um caso de guerra civil. Satanás estaria contra Satanás. Seria uma casa dividida e uma casa dividida não subsiste. Mas ele veio pelo Espírito de Deus e com ele irrompeu o reino de Deus (Mateus 12.28). Jesus entrou num mundo dominado pelo maligno (1 João 5.19) e estabeleceu seu reino. Ele veio para libertar os oprimidos do Diabo (Atos 10.38) e destruir as obras de Satanás (1 João 3.8). Veio ao terreno dominado pelo inimigo, adentrou seus domínios e abalou seu poder. Isso é como entrar na casa do valente, amarrá-lo e tomar seus bens.


Para alguns comentaristas, os bens são as pessoas dominadas por ele. Broadus pensa que se refira aos demônios dirigidos por ele e sobre quem Jesus mostrava poder. Talvez os contornos da declaração de Jesus não sejam relevantes. Parece-me haver aqui uma metáfora de um só sentido, em que as particularidades não contam. O que importa é isto: há um homem forte que tem bens. É Satanás.
Um mais forte que ele, Jesus, invade seus domínios e o vence.
A vitória de Jesus no deserto (Mateus 4.1-10) mostra sua superioridade sobre Satanás.
É aqui que surge a expressão "amarrar o valente" (Mateus 12.29 e Marcos 3.27). Jesus fez isso.
Ele limitou o poder de Satanás. Mas atenção: em lugar algum a Bíblia diz que os crentes amarram Satanás. Isso foi obra de Jesus ao irromper na história com seu reino, abalando o poder do inimigo.
Crentes não amarram Satanás. A Bíblia não traz um versículo sequer dizendo que com uma simples declaração conseguimos esta proeza. É muito simplismo e pretensão de algumas pessoas presumirem que suas palavras amarram Satanás.

Levanto algumas considerações para pensarem:


1a) Por que o amarram em cada culto? Ou fica amarrado para sempre ou alguém o solta!
Quem o solta depois que ele é amarrado?

2a) Se ele está amarrado, quem está agindo? É impossível deixar de reconhecer que ele está solto, agindo neste mundo.

3a) Jesus estava sendo literal? Devemos tomar a expressão como algo literal e dar-lhe um sentido universal, aplicável a todos os crentes, num sentido que Jesus não deu? Ou estava usando uma linguagem em figura para dizer que não tinha ligação alguma com Satanás, que eram adversários e que ele tinha vindo para destruir o Maligno? O próprio Jesus, que veio para amarrá-lo, foi tentado por ele (Mateus 4.1-10 e 16..23). Paulo nos adverte que é contra ele e seus asseclas que temos que lutar (Efésios 6.12). E nos aconselha a nos aparelharmos para a luta (Efésios 6.13-18). O quadro é de luta e não deste simplismo de deixar o inimigo amarrado com uma palavra.

4a) Qual a base bíblica para esta afirmação? É isto que não consigo entender: como práticas que resvalam para doutrina são estabelecidas em nosso meio, apenas com tintura bíblica, mas sem embasamento? Afinal, Paulo nos aconselha a lutarmos contra ele, em vez de amarrá-lo. Tiago 4.8 e 1 Pedro 5.9nos aconselham a resistirmos ao Diabo, em vez de amarrá-lo. Por que a Bíblia não deixa bem claro, se é possível isso, que o amarremos com uma frase de efeito?

5a) Não será uma estratégia do próprio inimigo disseminar em nosso meio a idéia de sua fraqueza e que é fácil vencê-lo? Não será seu interesse que os crentes pensem que uma frase feita o impeça de agir e assim nos descuidemos de nossa vigilância?

Sugeri certa vez, numa comissão doutrinária, que um semestre de Doutrina do Espírito Santo fosse incluído no currículo teológico. A terceira pessoa da Trindade ainda é pouco estudada em nosso meio, por isso tantos desvios doutrinários envolvendo-a. Creio que precisamos estudar também sobre o Diabo. Na realidade, precisamos estudar mais séria e criteriosamente a Bíblia. Fugir das novidades e "grifes" evangélicas que pululam aqui e acolá, das "descobertas" de cada dia, obra de pessoas que diariamente "redescobrem" o evangelho que jamais alguém viu em dois mil anos de cristianismo, e firmar-nos na doutrina equilibrada da Palavra de Deus. Amarremos o espírito novidadeiro, o espírito ateniense (Atos 17.21) que há em alguns (por favor, "espírito", aqui, é linguagem figurada). Isso será bom. Haverá um pouco mais de paz doutrinária no meio das igrejas.

Em outras palavras:
dá pra parar de inventar?


Autor: Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho


do site:
www.Luz para o Caminho


--
Postado por Tânia Regina no Blog da Tânia Regina em 10/26/2009 12:16:00 AM

domingo, 22 de novembro de 2009

Não desista

Há muitos casos de pessoas que se recusam a desistir frente a dificuldades.

Aqui estão algumas estratégias que podem ajudá-lo a manter suas intenções e sua energia neste dias de muita turbulência.
1-O que quer que aconteça, nunca deixe a insegurança se infiltrar. Sua consciência e sua energia precisam vibrar com determinação.
2-Não seja impaciente. Acalme-se e siga seus planos enquanto aproveita o processo de mudança – aproveite para curtir o lado bom da vida.
3-Não foque no que está indo mal; concentre-se no que vai bem e tente multiplicá-lo.
4-Crie um cronograma, mas não fixe limites de tempo muito rígidos, afinal de contas, existem fatos e acontecimentos que não dependem da sua vontade e determinação.
5-Descarte o arrependimento. Divagações sobre o passado aumentam a resistência no presente. Para de remoer velhos erros e olhe para frente.
6-Saia da zona de conforto. Assuma riscos. Faça algo novo, diferente e ousado. Liberte-se de seus medos e arrisque-se.
7-Nunca defina seus contratempos como fracasso. No mínimo você adquiriu mais experiência.
8-Seja realista quanto ao que precisa alterar. Mudanças podem ser seguras e trazer sucesso, então seja flexível e aberto.
Não desista.
Esteja aberto para oportunidades incríveis que as mudanças podem proporcionar.
Pense positivo.
Autor do texto: Narciso Machado

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

A Medalha


Quando menino, ganhei uma medalha na escola como prêmio ao aluno que sabia ler melhor.
Senti-me feliz e estufei de orgulho. Quando a aula terminou voltei para casa correndo entrei na cozinha como um furacão.
A velha empregada, que estava conosco havia muitos anos, ocupava-se no fogão. Sem nada comentar fui direto a ela, dizendo-lhe:
- Aposto que sei ler melhor do que você.
E estendi-lhe o meu livro de leitura. Ela interrompeu o seu trabalho e tomou o volume.
Examinando cuidadosamente as páginas, terminou por gaguejar:
- Bem, meu filho...eu...eu não sei ler.

Fiquei atônito. Sabia que papai estava em seu escritório naquela hora e voei para lá. Ele ergueu a cabeça quando eu entrei, suando, com o rosto em fogo e lhe disse:
- Imagine, papai, a Maria não sabe ler. E é uma velha. Eu, que ainda sou pequeno, já ganhei até medalha. Olhe só! (Eu estufei o peito para frente para que ele visse o meu troféu,e comentei):

- Deve ser horrível não saber ler, não é, papai?

Com toda a tranqüilidade, meu pai ergueu-se, foi até uma estante e voltou de lá com um livro.
- Leia este livro para eu ver, meu filho. Foi maravilhoso você ter ganho a medalha. Leia para eu ouvir.

Não titubeei, abri o volume e olhei para o meu pai cheio de surpresa. As páginas continham o que pareciam ser centenas de pequenos rabiscos.
- Não posso, papai. Eu não entendo nada disto que está aqui.
- É um livro escrito em chinês,meu filho...

Imediatamente me lembrei do que fizera a Maria e me senti envergonhado. Papai não disse mais nada e eu, pensativo, deixei o livro em sua escrivaninha e saí.

Até agora, toda vez que me sinto tentado a gabar-me por qualquer coisa que tenha feito, lembro-me do quanto ainda me falta aprender e digo de mim para comigo:
- Não se esqueça de que você não sabe ler chinês!

(Autor desconhecido)

Otimismo em Rede.com

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

O DEMÔNIO SABE QUEM É DE DEUS OU NÃO


Respondendo, porém, o espírito maligno, disse: Conheço a Jesus e bem sei quem é Paulo; mas vós, quem sois? (Atos 19.15).

Quem brinca com os assuntos relacionados a Deus se dá mal. Os filhos de Ceva, o sumo sacerdote, julgaram que o ministério cristão fosse brincadeira e, por causa disso, foram envergonhados e humilhados. Consagre-se a Deus, e o demônio também dirá que sabe quem você é. Quem vive no erro não pode expulsar o autor do erro. Quem é de Jesus é superior a todo mal.

Um dos grandes erros é brincar com os assuntos espirituais. Muitas pessoas, por não serem de Deus, desafiaram os poderes das trevas e pagaram um preço caro. Quem é do Senhor, estando firme na fé, e usando o Nome de Jesus, pode resistir ao inimigo e nada lhe acontecerá; mas, mesmo assim, só se estiver fazendo a obra divina. Ninguém deve mexer com o poder infernal a título de brincadeira ou com propósitos escusos.

As conseqüências são graves para aqueles que brincam com o poder de Deus ou faz gracejos com a obra divina (Gálatas 6.7; Hebreus 10.31). Os filhos do sumo sacerdote Ceva viram o apóstolo Paulo usar o poder de Deus e acharam que isso era como mágica. Eles tinham propósitos bem diferentes daquele a quem o Senhor dá a capacidade para amarrar e expulsar as forças das trevas. Resultado: foi vergonha e humilhação para eles.

Já presenciei homens de Deus serem envergonhados por estarem em pecado quando tentaram expelir demônios. A pessoa para ser usada pelo Senhor deve ser dEle e estar em comunhão com Ele. Se o cristão peca e não se arrepende, fica na mão do inimigo. A Palavra declara que aquele a quem se obedece servo dele se torna (Romanos 6.16).

Por outro lado, se você já é salvo, não precisa ter receio de enfrentar os poderes malignos e mandá-los sair. Eles sabem quem é de Deus ou não. O demônio, seja ele quem for, respeitará todo aquele que é do Senhor. Não havendo nada que nos separe de Deus, somos um só espírito com Ele, e, ao usarmos Seu Nome, é como se o próprio Deus estivesse expulsando aquele espírito maligno (Lucas 10.19; João 15.1-7).

Como pode alguém expulsar aquele que o mantém no erro? O Senhor honrará a quem não O honra? Não permita que o maligno o convença de que, no seu caso, aquele pecado não é pecado. Uma cobra será cobra, quer esteja em seu habitat ou em uma mansão luxuosíssima.

Ter aceitado Cristo como Salvador e Senhor é a condição básica para ser de Deus. O novo nascimento nos recria para uma vida de sucesso completo. Se você anda com Cristo, não deve temer os desafios que surgem, pois, agindo assim, não há condenação para você (João 5.24).

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

QUE PRIVILÉGIO!


Naquele dia, o SENHOR dos Exércitos será por coroa gloriosa e por grinalda formosa para os restantes de seu povo (Isaías 28.5).

O povo do Senhor deve acordar e sair da derrota, para que Deus possa honrá-lo. As pessoas precisam ver que somos diferentes e temos dignidade. Nossa fama tem de ir longe, pois é o nosso Pai quem nos enfeita. Ele mesmo quer ser a nossa Coroa gloriosa. Por isso, não há mais motivo de vergonha para quem é servo do Altíssimo, uma vez que o próprio Deus o promove em todos os lugares.

O Todo-Poderoso é por nós como uma coroa gloriosa. Fomos feitos para Ele como reis, soberanos em tudo (Apocalipse 5.10), e, agora, temos de reinar sobre todas as circunstâncias. Então, não podemos baixar a cabeça para o inimigo e sujeitar-nos aos seus caprichos. Ao contrário, o simples ato de assumir quem somos em Cristo já o faz desesperado. Se resistirmos ao diabo, ele fugirá de nós (Tiago 4.7).

A Palavra declara que não há nenhuma condenação em nossa conta (Romanos 8.1), pois a dívida que tínhamos foi zerada. Agora, temos livre acesso ao trono da graça. Jesus, ao conceder-nos a redenção, não o fez de qualquer modo; ela foi uma obra completa e gloriosa.

Fomos feitos filhos de Deus, e, portanto, a nossa posição espiritual é de elevado privilégio – o que significa que nada nos falta. O Altíssimo nos deu honra, como exemplificado na parábola do filho pródigo, na qual o pai mandou que colocassem um anel no dedo do filho que retornou (Lucas 15.11-32). Tendo o Senhor como o nosso enfeite, a nossa formosura será anunciada em todos os lugares.

Foi assim que os Céus planejaram o nosso testemunho, por isso, temos de fazer valer a nossa santidade, pureza e autoridade. Devemos tomar posse dos nossos direitos em Cristo, pois os perdidos precisam ver-nos como verdadeiros filhos de Deus, reconciliados com Ele, como pessoas as quais sabem o que lhes pertence e disso usufruem. Essa será a melhor mensagem que eles ouvirão. Ao ver-nos diferentes, muitos também desejarão participar da graça disponível a todos. Com a dignidade restaurada, seremos campeões em todas as batalhas.

Agora, já não somos os excluídos, mas os admirados. Somos mais que vencedores por Aquele que nos amou e Se entregou para que tivéssemos uma posição de supremacia sobre todas as obras do inimigo (Romanos 8.37). Por isso, a nossa voz tem de ser a de alguém que conhece que é vitorioso.

O nosso Deus é quem nos conduz em triunfo e nos leva a ocupar os melhores lugares (2 Coríntios 2.14).

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Construa, evitando apelos ao orgulho

"ministro do púlpito" apresentou o orador: "Temos a honra de ter um distinto convidado.
O Dr. Paulo, de Tarso, dedicará nossas novas instalações de 7,3 milhões de dólares, que é aclamada através de toda Jerusalém. É muito bom ter um irmão tão estimado conosco.
O Dr. Paulo tem um doutorado em teologia da Universidade de Jerusalém, e tem pregado em algumas das nossas maiores igrejas. Também, ele fez trabalho missionário nas principais cidades da Europa. Não há ninguém maior entre nós. Queiram dar-lhe as boas-vindas com uma entusiástica salva de palmas."

Conquanto fora do caráter do Novo Testamento, isto é bastante comum, em nossa geração. Como é sutil a "soberba da vida" (1 João 2:16).

Isto não é um problema novo; apareceu no jardim do Éden, quando Satanás tentou Eva para ser "como Deus" e convenceu-a de que o fruto proibido era "desejável para dar entendimento" (Gênesis 3:5-6).
Mais tarde, um desejo de glória fez com que Miriã e Arão se rebelassem contra Moisés (Números 12). Não foi o orgulho que derrubou o rei Saul? Ele não podia suportar que Davi recebesse maior louvor do que ele, e foi ladeira abaixo, depois disso. Entre os líderes judeus, muitos não confessaram Cristo"porque amaram mais a glória dos homens do que a glória de Deus" (João 12:42-43). O rei Herodes recebeu um rápido e amargo destino, quando superado pelo orgulho (Atos 12:20-23).


Vendo isso da perspectiva moderna, vejo, pelo menos, quatro manifestações de orgulho:

1-honrando indevidamente os homens;

Dê honra a quem a honra é devida (Romanos 13:7), mas não vá muito longe. Tenho ouvido oradores elogiados e exaltados por, pelo menos, duas apresentações e aplaudidos antes e depois dos sermões. Há anos que as reuniões evangélicas anunciam o "Dr. Fulano". Os boletins de igrejas incluem a lista de auxiliares, "Dr. Sicrano" e "Dr. Beltrano". Homens de menor escolaridade são relacionados simplesmente pelos seus nomes. Certamente os homens ganham o direito profissional de ser chamados "doutor", mas com que proveito são esses títulos usados num ambiente espiritual? Será disso que Mateus 23:1-12 trata? Há honra maior do que ser um "irmão" em Cristo? Eu respeito as realizações de meus irmãos, e posso me referir a eles como "doutor" em um ambiente profissional, mas não convidarei o "Dr. Fulano" para "nos dirigir numa oração antes do sermão". Por que todos esses títulos na igreja?


2- competindo com as denominações na construção de obras monumentais;

Não há nada de errado com edifícios atraentes e úteis, mas estamos construindo ferramentas para o serviço a Deus ou obras espetaculares para atrair o mundo? Recentemente, uma igreja no estado onde moro dedicou um "novo campus" de 57.000 m² e um auditório com 1.500 lugares. A igreja de 1.400 membros diz que a propriedade e as instalações estão avaliadas em mais de 16 milhões de dólares. Fora os problemas que um novo e custoso edifício com lugares para somente 7% mais do que os membros atuais (eles são membros ativos, ou apenas nomes da lista, como se fala nas denominações? Eles não pretendem crescer?), há uma forte suspeita de que isso tenha sido construído como uma obra espetacular, para competir com as catedrais católicas e os templos da Igreja Universal do Reino de Deus.


3 -apelando para mentes carnais, citando realizações mundanas;

Um folheto de uma igreja anuncia oito convertidos: atletas, músicos, modelos, etc. Um tinha aparecido no jornal da noite e, eles relataram, 8..000.000 ligaram. Seu "maior momento de triunfo foi a glória olímpica..." (E que tal o seu batismo?). Outra, "uma verdadeira capa de revista no mundo dos modelos", é um sucesso mundial que ganhou 18.000 dólares em apenas dois meses. O folheto conta quantos discos os cantores de "rock" venderam, etc.O que tem tudo isto a ver com converter almas a Cristo?


4- medindo a grandeza pelo tamanho. Considere:

Damos graças a Deus pelo crescimento, mas o crescimento pode dar ocasião ao orgulho, e isso não é a única medida do sucesso espiritual. Se o número de batismos é a medida, então curvemo-nos aos mórmons! Notícias de igrejas gabam-se de igrejas plantadas, de crescimento rápido, de realizar os maiores encontros da região ou de fazer as maiores obras evangelísticas do país. Sim, Atos fala de 3.000 e 5.000 almas, e como o número multiplicava,porém não na linguagem do orgulho!


Tais atitudes são carnais, apelando para o orgulho carnal dos homens. Paulo repreendeu os coríntios porque "ainda sois carnais...e andais segundo o homem"? (1 Coríntios 3:3). Ele lembrava-os de que "as armas da nossa milícia não são carnais" (2 Coríntios 10:4). Nós, também, podemos cair em tal erro se não prestarmos atenção em tais passagens como Tiago 2:1-9, que nos adverte contra este apelo à carne, ao carnal, mostrando acepção de pessoas quando cortejamos os ricos e ignoramos os pobres.

Preguemos e ensinemos até não podermos mais, mas usemos o poder de atração de um Cristo exaltado -o evangelho- e não procuremos engodar os homens através de apelos carnais (João 12:32; 1 Coríntios 2:1-5).


autor:
Jefferson David Tant


--
Postado por Tânia Regina no Blog da Tânia Regina em 11/06/2009 03:58:00 AM

sábado, 7 de novembro de 2009

Aprendendo a liderar em Cristo


- Deus te fez para reinar.
- Desde seu nascimento, Deus já planejou qual seria seu REINO.
- Moisés foi o maior líder que Israel já teve.
- Ele era rei, profeta, sacerdote, líder.
- O reinado de moisés se dividiu em 3 partes:

1) Principe do Egito (Ex 2.1-15)

- Egito aponta pra o mundo.
- Você pode ter sido um princepe no mundo, mas o rei era satanás.
- O egito oferece luxo e glamour.
- No egito moisés era auto-confiante e tinha falsa segurança.
- O reinado do mundo desmorona da noite para o dia, e te leva para o deserto.

2) Pastor de ovelhas (Ex 2.16-4)

- No deserto de Midiã Moisés liderou ovelhas
- No deserto Moisés aprendeu humildade
- No deserto ele aprendeu a conhecer o rebanho (almas)
- No deserto Moisés perdeu o cheiro de Egito, e passou a ter cheiro de ovelha
- No deserto Moisés perdeu a auto-confiança, e passou a ter insegurança!
- O deserto tem um tempo determinado.

3) Líder de uma nação (Ex 5 – Dt 34)

- Liderando Israel, Moisés era SERVO
- Liderando Israel, Moisés passou a ter segurança em Deus
- Liderando Israel, Moisés conheceu o Escritório do Senhor

Aplicação:

- Deus tem levantado líderes em todas as nações.
- Talvez hoje você ainda seja príncipe do Egito
- Talvez hoje você já esteja cheirando a ovelha
- Não se apavore com a circunstância, Deus tem um grande reino separado para você!

Pr. Ricardo Ribeiro
Fonte: www.atosdois.com.br

Deixe a raiva secar


Mariana ficou toda feliz porque ganhou de presente um joguinho de chá, todo azulzinho, com bolinhas amarelas. No dia seguinte, Julia sua amiguinha, veio bem cedo convida-la para brincar.

Mariana não podia porque ia sair com sua mãe naquela manha. Julia, então, pediu a coleguinha que lhe emprestasse o seu conjuntinho de chá para que ela pudesse brincar sozinha na garagem do prédio.

Mariana não queria emprestar, mas, com a insistência da amiga, resolveu ceder, fazendo questão de demonstrar todo o seu ciúme pôr aquele brinquedo tão especial.

Ao regressar do passeio, Mariana ficou chocada ao ver o seu conjuntinho de chá jogado no chão. Faltavam algumas xícaras e a bandejinha estava toda quebrada.

Chorando e muito nervosa, Mariana desabafou: Esta vendo, mamãe, o que a Julia fez comigo?

Emprestei o meu brinquedo, ela estragou tudo e ainda deixou jogado no chão. Totalmente descontrolada, Mariana queria, porque queria, ir ao apartamento de Julia pedir explicações. Mas a mamãe, com muito carinho, ponderou:

- Filhinha, lembra daquele dia quando você saiu com seu vestido novo todo branquinho e um carro, passando, jogou lama em sua roupa?

Ao chegar a sua casa você queria lavar imediatamente aquela sujeira, mas a vovó não deixou.

Você lembra do que a vovó falou? Ela falou que era para deixar o barro secar primeiro. Depois ficava mais fácil limpar. Pois e, minha filha! Com a raiva e a mesma coisa.

Deixa a raiva secar primeiro. Depois fica bem mais fácil resolver tudo. Mariana não entendeu muito bem, mas resolveu ir para a sala ver televisão.

Logo depois alguém tocou a campainha. Era Julia, toda sem graça, com um embrulho na mão. Sem que houvesse tempo para qualquer pergunta, ela foi falando:

- Mariana, sabe aquele menino mau da outra rua que fica correndo atras da gente?

Ele veio querendo brincar comigo e eu não deixei. Ai ele ficou bravo e estragou o brinquedo que você havia me emprestado.

Quando eu contei para a mamãe ela ficou preocupada e foi correndo comprar outro brinquedo igualzinho para você. Espero que você não fique com raiva de mim.

Não foi minha culpa.

Não tem problema, disse Mariana, minha raiva ja secou. E, tomando a sua coleguinha pela mão, levou-a para o quarto para contar historia do vestido novo que havia sujado de barro.

Otimismo em Rede.com
-
Visite: www.otimismoemrede.com

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Como não acreditar em Deus?‏

Como não acreditar em Deus? Como não acreditar que exista um Criador? Impossível. Permita-me falar algumas coisas que NUNCA ninguém falou pra você sobre o corpo humano.

Você sabe por que é que o seu sangue é vermelho? É porque a cor vermelha é a cor que mais chama a atenção do seu sistema visual, da sua visão. O vermelho é um alerta para a perda de sangue porque o sangue é fundamental para a sua vida, ele é muito importante.

O seu cérebro e o seu coração estão dentro de caixas ósseas porque são os órgãos mais importantes do seu corpo e é por isso que eles estão dentro desta caixa de ossos, para proteção máxima.

Você tem pelos nas narinas e sabe por que? É para filtrar o ar antes que chegue aos seus pulmões pois o ar está cheio de poeira e isso poderia causar-lhe muitos problemas. Você tem cílios e sobrancelhas sabe por que? É para proteger os seus olhos contra a poeira do ar.

Você sabe por que é que existe a dor? A dor é um alerta, é através da dor que o seu corpo se comunica com você para dizer-lhe que algo não está bem e que é para você tomar providências.

Quem é que faz a sua digestão, quem é que controla a sua respiração e quem é que controla as batidas do seu coração e milhões de funções mais? É um processo automático do seu corpo fantásticamente programado para isso.

Eu poderia aqui escrever livros e mais livros explicando por que e como funcionam as coisas no seu corpo mas vamos parar por aqui.

Ora, você vê um computador funcionando perfeitamente, é claro que o computador não foi criado pelo acaso ou pela natureza. rsrs Alguém o criou, no caso o ser humano.

Agora você vê um organismo humano funcionando perfeitamente com milhões e milhões de funções, seria inteligente pensar que esse organismo fosse obra do acaso ou da natureza? NÃO! Foi Alguém que "projetou" e "programou" este organismo pois ele age de forma inteligente. A esse Alguém deram o nome de Deus que eu prefiro chamar de Criador.



--
Fonte: www.otimismoemrede.com



domingo, 1 de novembro de 2009

AMIGOS DESEJÁVEIS X INDESEJÁVEIS

Sete bons sinais de um amigo desejável
  1. Um amigo desejável lhe diz a verdade em amor. "Leais são as feridas feitas pelo que ama, porém os beijos de quem odeia são enganosos" (Pv 27:6).
  2. Um amigo desejável lhe dá bons conselhos. "Como o óleo e o perfume alegram o coração, assim, o amigo encontra doçura no conselho cordial" (Pv 27:9).
  3. Um amigo desejável a refina. "Como o ferro com o ferro se afia, assim o homem, ao seu amigo" (Pv 27:17).
  4. Um amigo desejável ajuda você a crescer em sabedoria. "Quem anda com os sábios será sábio, mas o companheiro dos insensatos se tornará mau" (Pv 13:20).
  5. Um amigo desejável é chegado a você. "O homem que tem muitos amigos sai perdendo; mas há amigos mais chegados do que um irmão" (Pv 18:24).
  6. Um amigo desejável ama e apóia voçê. "Em todo tempo ama o amigo, e na angústia se faz o irmão" (Pv 17:17).
  7. Um amigo desejável é socorro em tempo de dificuldade. "Melhor é serem dois do que um, por que têm melhor paga do seu trabalho. Por que se caírem, um levanta o companheiro; ai porém, do que estiver só; pois, caindo, não haverá quem o levante" (Pv 4:9,10).
Se você tem amigos com essas qualidades, proteja essas amizades com orações. Se você tem amigos com qualidades nada desejáveis, precisa orar por eles também.

Sete sinais de um amigo indesejável
  1. Um amigo indesejável é imoral e não tem consederação pelos outros. "Mas, agora, vos escrevo que não associeis com alguém que dizendo-se irmão, for impuro, ou avarento, ou idótara, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com esse tal, nem ainda comais" (1Co 5:11).
  2. Um amigo indesejável é insconstante e instável. "Não te associes com os revoltosos. Porque de repente se levantará a sua perdição, e a ruína que virá daqueles dois, quem a conhecerá?" (Pv 24:21,22).
  3. Um amigo indesejável está sempre irado. "Não te associes com o iracundo, nem andes com o homem colérico, para que não aprendas as suas veredas e, assim, enlaces a tua alma" (Pv 22:24,25).
  4. Um amigo indesejável dá conselhos ímpios. "Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadosres, nem se assenta na roda dos escarnecedores" (Sl 1:1).
  5. Um amigo indesejável é um incrédulo iniquo. "Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo? (2Co 6:14,15).
  6. Um amigo indesejável é um insensato. "Quem anda com os sábios será sábio, mas o companheiro dos insensatos se tornará mau." (Pv 13:20).
  7. Um amigo indesejável é irreverente para com Deus e suas leis. "Companheiro sou de todos os que te temem e dos que guardam os teus preceitos" (Sl 119:63).
Se você tem amigos com características como essas, peça a Deus que lhe envie novos amigos e enquanto voçê ora para que os antigos sejam transformados.

(Extraído do livro O poder da mulher que ora)