COMO GANHAR DINHEIRO LENDO EMAIL

Ganhe dinheiro lendo e-mails! Trabalhe lendo e-mails, anúncios e ganhe dinheiro na internet! Cadastre-se agora através do meu convite!
http://www.e-clicky.net/herculano

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Feliz Natal, na paz de Deus

Que a bênção e a paz desta data de amor e perdão, possam estar presentes na sua vida;

desejo que neste Natal você busque pela paz, porque buscando a paz, você encontrará o perdão, o amor e a fé andará de mãos dadas com você.

Continue buscando a Deus, confiando no seu poder, pedindo com a certeza de que seu desejo será ouvido pelo Pai.

Aproveite o Natal, ajoelhe, ore, peça perdão, perdoe.

O menino Deus é cheio de poder e bondade;

abra seu coração, ame, só assim você encontrará o brilho da paz que sempre esteve à sua volta.

Continue buscando a Deus;

continue no propósito do Pai, assim você entenderá os mistérios que avida coloca em seu caminho.

Feliz Natal, na paz de Deus

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

VASOS QUEBRADOS

Era uma vez um depósito de vasos quebrados.


Ninguém se importava com eles. Eles mesmos não se importavam por estar quebrados, ao contrário, quanto mais quebrados ficavam, mais eram respeitados pelos outros.

Um dia, por engano, um vaso inteiro foi parar no meio dos vasos quebrados, mas, por ser diferente dos demais, de imediato ele foi rejeitado e hostilizado.
Justo ele, que tinha uma necessidade miserável de ser aceito.

Tentou se aproximar dos vasos menos danificados, aqueles que tinham apenas a boca rachada, mas, não deu certo. Depois, procurou se aproximar dos vasos que tinham apenas um pequeno furo na barriga, mas, também foi repelido. Tentou uma terceira vez, com os vasos que estavam trincados na base, mas, não adiantou.

Resolveu, então, arranjar umas brigas, esperando conseguir um ferimento, um risco, uma trinca ou, quem sabe, com um pouco de sorte, até um quebrado bacana, mas, naquele lugar, ninguém tinha força bastante para quebrar os outros. Se algum vaso quisesse se quebrar, tinha que fazer isso sozinho.

E foi isso mesmo que ele fez. E conseguiu o que queria, ser aceito no clube dos vasos quebrados.

Ficou feliz, realizado, mas, não por muito tempo, pois, logo começou a se incomodar com uma outra necessidade, a de ser respeitado pelos demais vasos quebrados.

Para isso, teve que ir-se quebrando. E se quebrou em tantos pedaços que voltou ao pó.

E deixou de ser vaso!


fonte: Pr Ronaldo Alves Franco

www.SitedoPastor.com.br


Não vos enganeis. As más companhias
corrompem os bons costumes.

I Coríntios 15.33

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

AMARGO REGRESSO

Esta história é contada como verídica. Fala de um jovem soldado que finalmente estava voltando para casa, depois de ter lutado numa guerra muito sangrenta.


Ele ligou para seus pais e disse-lhes:
- Mãe, Pai, eu estou voltando para casa, mas, quero lhes pedir um favor. Eu tenho um amigo que eu gostaria de trazer comigo.

- Claro, filho, nos adoraríamos conhecê-lo!

- Mas, há algo que vocês precisam saber, ele foi terrivelmente ferido na guerra; pisou em uma mina e perdeu um braço e uma perna. Ele não tem nenhum lugar para ir e, por isso, eu quero que ele venha morar conosco.

- Puxa, filho, não é facil cuidar de uma pessoa com tantas dificuldades assim... mas, traga-o com você, nós vamos ajudá-lo a encontrar um lugar para ele.

- Não, mamãe e papai, eu quero que ele venha morar conosco.

- Filho, nós não podemos assumir um compromisso tão grande assim. Ele não seria feliz morando aqui conosco. E nós perderíamos um pouco da nossa liberdade. Vamos achar um lugar em que cuidem bem dele.

- Está certo, papai, o senhor tem razão!

Alguns dias depois, no entanto, eles receberam um outro telefonema, da polícia. O filho deles havia cometido suicídio, num hotelzinho de beira de estrada numa cidade vizinha, bem perto deles.

Quando ele foram fazer o reconhecimento do corpo descobriram que o "amigo" do qual o rapaz falara era ele mesmo, que havia sido gravemente ferido na guerra e escondera o fato de seus pais, com medo de não ser aceito por eles.


Mas Deus prova o seu amor para conosco,
em que, quando éramos ainda pecadores,
Cristo morreu por nós.

Romanos 5.8


fonte:www.SitedoPastor.com.br

terça-feira, 9 de novembro de 2010

DEUS NÃO ESCOLHE CAPACITADOS, CAPACITA OS ESCOLHIDOS


“Deus sempre capacitará aqueles que escolhe”. Conta certa história que estavam duas crianças estavam patinando num lago congelado. Era uma tarde nublada e fria e as crianças brincavam despreocupadas. De repente, o gelo se quebrou e uma delas caiu, ficando presa na fenda que se formou. A outra, vendo seu amiguinho preso e se congelando, tirou um dos patins e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, conseguindo por fim quebrá-lo e libertar o amigo. Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino: - Como você conseguiu fazer isso? É impossível que tenha conseguido quebrar o gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis! Nesse instante, um ancião que passava pelo local, comentou: - Eu sei como ele conseguiu. Todos perguntaram: - Pode nos dizer como? - É simples – respondeu o velho. - Não havia ninguém ao seu redor, para lhe dizer que não seria capaz.

“Deus nos fez perfeitos e não escolhe os capacitados,

CAPACITA OS ESCOLHIDOS. Fazer ou não fazer algo só depende de nossa vontade e perseverança Mt 22:14- Porque muitos são chamados. MAS POUCOS OS ESCOLHIDOS.

Confie

As coisas acontecem na hora certa. Exatamente quando devem acontecer! Momentos felizes, louve a Deus. Momentos difíceis, busque a Deus. Momentos silenciosos, adore a Deus. Momentos dolorosos, confie em Deus. Cada momento, agradeça a Deus.

FONTE: Portal dos Evangélicos

http://www.portaldosevangelicos.com.br/?cat=683

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

ORDENADOS A SERMOS PERFEITOS



“Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai, que está nos céus” (Mateus 5.48).

As ordens do Senhor devem sempre ser obedecidas, e Ele jamais pediria que fôssemos perfeitos se isso não fosse possível. Quem é inteligente e deseja vencer as batalhas da vida deve aprender que pesa, sobre todos os mandamentos de Deus, a obrigação de chegarmos à perfeição, assim como Jesus chegou. Ele é perfeito em tudo: no pensar, no falar, no agir, no amar e no cumprir de Suas promessas. Jamais o Senhor foi ou será imperfeito.
Jesus disse que provamos que O amamos ao guardarmos Seus mandamentos (João 14.15,21), o que temos de fazer com perfeição. Por isso, não podemos agir de qualquer maneira e esperar que Ele cumpra o que prometeu, embora Ele nos ame antes mesmo de nós O amarmos (1 João 4.19). Então, analise se você tem obedecido ao que o Senhor ordena, como tem agido diante do que Ele promete ou quando repreende alguma atitude. Até aceitar a repreensão do Senhor e deixar o mau caminho são atitudes que devem ser tomadas de todo o coração, com perfeição.
Pela exatidão das palavras de Jesus, vemos que o modo como fazemos a obra de Deus conta muito, já que Ele não aceita que sejamos imperfeitos em executar a missão destinada a nós. O homem de Deus precisa ser como aqueles 300 de Gideão, que beberam a água como os cães o fazem (Juízes 7.7). Apenas os que se rendem completamente ao Espírito de Deus são aprovados para as batalhas do Senhor. Portanto, examine-se e veja se tem feito um esforço para realizar com louvor o que lhe é confiado. Se tem agido diferente, é melhor se consertar, aprimorando a maneira de proceder na obra de Deus.
Para o Senhor, nossa palavra tem de ser sim, sim e não, não, pois o que passa disso é de procedência maligna (Mateus 5.37). Isso significa que não devemos participar de nada que vem do inimigo; em vez disso, devemos ser como Jesus, o qual afirmava que o diabo não tinha nada nEle (João 14.30). Se Satanás encontrar uma brecha em sua vida, por menor que seja, usará suas garras, e você padecerá muito. Portanto, examine seus pensamentos, desejos e suas vontades, e analise aquilo em que crê. Se houver algo do maligno, peça perdão e corrija seu comportamento. O homem se torna servo daquele a quem obedece.
Pela Palavra, aprendemos também que devemos ser imitadores de Jesus (1 Coríntios 11.1), porque Ele nos quer sob Seu domínio, em perfeição, fazendo Sua vontade, como Ele faria se estivesse em nosso lugar. Então, quando você orar para reivindicar algo que a Escritura promete, não o faça com o coração dividido, mas, sim, com todas as suas forças, com coragem e disposição, de modo perfeito.
Quem agir por conta própria não será bem-sucedido, e Deus Se agrada com nosso sucesso. Além disso, se, em alguma de nossas decisões ou ações, não formos perfeitos, não estaremos agradando a Deus. Ele fica feliz em nos ver agindo como Ele.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

sábado, 30 de outubro de 2010

PARE COM O CHORO



E os levitas fizeram calar todo o povo, dizendo: Calai-vos, porque este dia é santo; por isso, não vos entristeçais (Neemias 8.11). Esta mensagem precisa ser pregada com mais frequência em nossas igrejas. Os levitas leram a Palavra e explicaram o que o povo podia entender, porém, a choradeira começou. Então, eles se esforçaram, foram enérgicos e calaram o povo, pois, afinal, aquele dia era santo, e não de tristeza. Hoje, o povo tem-se tornado cada vez mais religioso e, como no passado, tem aberto a boca e chorado, achando que isso agrada a Deus. Porém, a Bíblia declara que a alegria do Senhor é a nossa força (Neemias 8.10). Sendo assim, não podemos sequer tolerar a tristeza que os pregadores de más notícias nos trazem, pois, para esses, a vida não tem valor; as praias, por exemplo, foram criadas pelo demônio, e a prosperidade é algo que provém do maligno – apesar de, no passado, terem reconhecido todas essas coisas maravilhosas como obras divinas. Está tudo errado! A Boa Notícia – a vinda de Jesus – traz alegria ao nosso coração, tira-nos da condenação e nos leva a um regozijo excepcional. Além disso, a mensagem do Evangelho abre nossos olhos espirituais e nos dá prosperidade, cura e solução para todos os problemas. Por isso, embora a religião e a tradição tenham impedido o Pai de operar no meio dos Seus, nós, cristãos, precisamos aprender a andar de acordo com Sua Palavra, e não segundo a tradição religiosa. O pregador que vive brigando com a congregação não está fazendo a obra de Deus, mas a sua própria. Esse ministro do Evangelho precisa compreender que a igreja não é dele, mas, sim, do Senhor. Todos deveriam ser ensinados pelo Altíssimo, pois nós, os pregadores, somos meros porta-vozes do recado divino. Porém, milhares de pessoas têm sido enganadas! Muitos hinos falam de tristeza, e diversos sermões são negativos e ensinam erroneamente que a resposta é o choro, que a vida é dura e só por misericórdia conseguimos aguentar as mais difíceis situações. O ministério de Jesus, no entanto, era diferente. O Mestre alegrava o coração dos pecadores, curava-os, perdoava-lhes os pecados e até aceitava convites para comer na casa das pessoas (Lucas 7.34). Lá, Ele mostrava que a vida com Deus era algo sem igual. No versículo que estamos estudando, vemos que, tão logo a Palavra foi lida e explicada, o pranto começou. Os levitas ficaram bravos e fizeram com que parassem com aquela choradeira. Eles disseram que o dia era santo e todos deviam festejar. E hoje, por que chorar, se Jesus venceu? Se tomarmos a alegria do Senhor, seremos fortes, pois ela é a nossa força. Então, não aceite nenhuma mensagem negativa, pois elas falam de sofrimento, não de vitória. Aquilo em que cremos é o que nos acontece. Se você acreditar que ficar com os olhos inchados de tanto chorar é o que agrada a Deus, o diabo fará a festa. Limpe seus olhos, sorria e alegre-se, pois você foi aceito no plano de Deus, e das mãos dEle ninguém pode tirá-lo mais (João 10.27-30). Em Cristo, você é mais, eternamente mais que vencedor (Romanos 8.31-39). Em Cristo, com amor, R. R. Soares

terça-feira, 19 de outubro de 2010

O MONGE E O CESTO DE BAMBU


Havia um monge que reunia seus discípulos e os convidava a subir com ele até o alto de uma montanha para rezarem juntos. Fazia isso todos os dias. Perto dali, logo abaixo, havia um rio com águas puras e cristalinas. Certa vez, um dos discípulos perguntou ao monge: - Mestre, por que oramos todos os dias, se não conseguimos gravar as palavras em nossas mentes? Pouco me lembro do que oraamos ontem e já nem sei o que falamos há dez dias... O monge, com a calma e a serenidade que são típicas dessas pessoas, pegou um cesto de bambu, que estava próximo dali, e o deu ao discípulo dizendo: - Filho, vá até aquele rio e traga este cesto cheio d'água para mim. (Todos nós sabemos que um cesto de bambu não pode reter a água). O discípulo lá se foi... Ao voltar, com o cesto vazio, embora ainda molhado, o monge lhe perguntou o que ele havia concluído. E o discípulo respondeu: - Mestre, um cesto de bambu não pode reter a água, porque ela escapa pelos furos... - Só isso? - insistiu o monge - Então vá novamente ao rio e traga o cesto com mais água. E o discípulo foi novamente... Ao voltar, o monge lhe perguntou o que ele tinha concluído e a resposta foi a mesma. O monge pediu novamente para que ele repetisse a operação... E fez isso várias vezes... Depois de várias idas e vindas, finalmente o discípulo concluiu: - Mestre, agora percebo uma diferença: o cesto está mais LIMPO do que antes! Satisfeito com a conclusão, o monge acrescentou: - Exatamente! O mesmo acontece conosco, quando rezamos. Muitas vezes esquecemos as palavras, mas com certeza ficamos mais 'limpos' e o nosso espírito é purificado a cada oração. Deus sempre nos dá conforto em meio à tristeza, paz em meio à tempestade, estabilidade em meio às mudanças, perdão em meio ao pecado e amor em meio ao ódio. Através da oração, nós nos fazemos DISPONÍVEIS PARA DEUS.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

CASAMENTO


Naquela noite, enquanto minha esposa servia o jantar, eu segurei sua mão e disse: "Tenho algo importante para te dizer". Ela se sentou e jantou sem dizer uma palavra. Pude ver sofrimento em seus olhos. De repente, eu também fiquei sem palavras. No entanto, eu tinha que dizer a ela o que estava pensando. Eu queria o divórcio. E abordei o assunto calmamente. Ela não parecia irritada pelas minhas palavras e simplesmente perguntou em voz baixa: "Por quê?" Eu evitei respondê-la, o que a deixou muito brava. Ela jogou os talheres longe e gritou "você não é homem!" Naquela noite, nós não conversamos mais. Pude ouví-la chorando. Eu sabia que ela queria um motivo para o fim do nosso casamento. Mas eu não tinha uma resposta satisfatória para esta pergunta. O meu coração não pertencia a ela mais e sim a Jane. Eu simplesmente não a amava mais, sentia pena dela. Me sentindo muito culpado, rascunhei um acordo de divórcio, deixando para ela a casa, nosso carro e 30% das ações da minha empresa. Ela tomou o papel da minha mão e o rasgou violentamente. A mulher com quem vivi pelos últimos 10 anos se tornou uma estranha para mim. Eu fiquei com dó deste desperdício de tempo e energia mas eu não voltaria atrás do que disse, pois amava a Jane profundamente. Finalmente ela começou a chorar alto na minha frente, o que já era esperado. Eu me senti libertado enquanto ela chorava. A minha obsessão por divórcio nas últimas semanas finalmente se materializava e o fim estava mais perto agora. No dia seguinte, eu cheguei em casa tarde e a encontrei sentada na mesa escrevendo. Eu não jantei, fui direto para a cama e dormi imediatamente, pois estava cansado depois de ter passado o dia com a Jane. Quando acordei no meio da noite, ela ainda estava sentada à mesa, escrevendo. Eu a ignorei e voltei a dormir. Na manhã seguinte, ela me apresentou suas condições: ela não queria nada meu, mas pedia um mês de prazo para conceder o divórcio. Ela pediu que durante os próximos 30 dias a gente tentasse viver juntos de forma mais natural possivel. As suas razões eram simples: o nosso filho faria seus examos no próximo mês e precisava de um ambiente propício para prepar-se bem, sem os problemas de ter que lidar com o rompimento de seus pais. Isso me pareceu razoável, mas ela acrescentou algo mais. Ela me lembrou do momento em que eu a carreguei para dentro da nossa casa no dia em que nos casamos e me pediu que durante os próximos 30 dias eu a carregasse para fora da casa todas as manhãs. Eu então percebi que ela estava completamente louca mas aceitei sua proposta para não tornar meus próximos dias ainda mais intoleráveis. Eu contei para a Jane sobre o pedido da minha esposa e ela riu muito e achou a idéia totalmente absurda. "Ela pensa que impondo condições assim vai mudar alguma coisa; melhor ela encarar a situação e aceitar o divórcio" ,disse Jane em tom de gozação. Minha esposa e eu não tínhamos nenhum contato físico havia muito tempo, então quando eu a carreguei para fora da casa no primeiro dia, foi totalmente estranho. Nosso filho nos aplaudiu dizendo "O papai está carregando a mamãe no colo!" Suas palavras me causaram constrangimento. Do quarto para a sala, da sala para a porta de entrada da casa, eu devo ter caminhado uns 10 metros carregando minha esposa no colo. Ela fechou os olhos e disse baixinho "Não conte para o nosso filho sobre o divórcio" Eu balancei a cabeça mesmo discordando e então a coloquei no chão assim que atravessamos a porta de entrada da casa. Ela foi pegar o ônibus para o trabalho e eu dirigi para o escritório. No segundo dia, foi mais fácil para nós dois. Ela se apoiou no meu peito, eu senti o cheiro do perfume que ela usava. Eu então percebi que há muito tempo não prestava atenção a essa mulher. Ela certamente tinha envelhecido nestes últimos 10 anos, havia rugas no seu rosto, seu cabelo estava ficando fino e grisalho. O nosso casamento teve muito impacto nela. Por uns segundos, cheguei a pensar no que havia feito para ela estar neste estado. No quarto dia, quando eu a levantei, senti uma certa intimidade maior com o corpo dela. Esta mulher havia dedicado 10 anos da vida dela a mim. No quinto dia, a mesma coisa. Eu não disse nada a Jane, mas ficava a cada dia mais fácil carregá-la do nosso quarto à porta da casa. Talvez meus músculos estejam mais firmes com o exercício, pensei. Certa manhã, ela estava tentando escolher um vestido. Ela experimentou uma série deles mas não conseguia achar um que servisse. Com um suspiro, ela disse "Todos os meus vestidos estão grandes para mim". Eu então percebi que ela realmente havia emagrecido bastante, daí a facilidade em carregá-la nos últimos dias. A realidade caiu sobre mim com uma ponta de remorso... ela carrega tanta dor e tristeza em seu coração..... Instintivamente, eu estiquei o braço e toquei seus cabelos. Nosso filho entrou no quarto neste momento e disse "Pai, está na hora de você carregar a mamãe". Para ele, ver seu pai carregando sua mão todas as manhãs tornou-se parte da rotina da casa. Minha esposa abraçou nosso filho e o segurou em seus braços por alguns longos segundos. Eu tive que sair de perto, temendo mudar de idéia agora que estava tão perto do meu objetivo. Em seguida, eu a carreguei em meus braços, do quarto para a sala, da sala para a porta de entrada da casa. Sua mão repousava em meu pescoço. Eu a segurei firme contra o meu corpo. Lembrei-me do dia do nosso casamento. Mas o seu corpo tão magro me deixou triste. No último dia, quando eu a segurei em meus braços, por algum motivo não conseguia mover minhas pernas. Nosso filho já tinha ido para a escola e eu me vi pronunciando estas palavras: "Eu não percebi o quanto perdemos a nossa intimidade com o tempo". Eu não consegui dirigir para o trabalho.... fui até o meu novo futuro endereço, saí do carro apressadamente, com medo de mudar de idéia...Subi as escadas e bati na porta do quarto. A Jane abriu a porta e eu disse a ela "Desculpe, Jane. Eu não quero mais me divorciar". Ela olhou para mim sem acreditar e tocou na minha testa "Você está com febre?" Eu tirei sua mão da minha testa e repeti "Desculpe, Jane. Eu não vou me divorciar. Meu casamento ficou chato porque nós não soubemos valorizar os pequenos detalhes da nossa vida e não por falta de amor. Agora eu percebi que desde o dia em que carreguei minha esposa no dia do nosso casamento para nossa casa, eu devo segurá-la até que a morte nos separe. A Jane então percebeu que era sério. Me deu um tapa no rosto, bateu a porta na minha cara e pude ouví-la chorando compulsivamente. Eu voltei para o carro e fui trabalhar. Na loja de flores, no caminho de volta para casa, eu comprei um buquê de rosas para minha esposa. A atendente me perguntou o que eu gostaria de escrever no cartão. Eu sorri e escrevi: "Eu te carregarei em meus braços todas as manhãs até que a morte nos separe". Naquela noite, quando cheguei em casa, com um buquê de flores na mão e um grande sorriso no rosto, fui direto para o nosso quarto onde encontrei minha esposa deitada na cama - morta. Minha esposa estava com câncer e vinha se tratando a vários meses, mas eu estava muito ocupado com a Jane para perceber que havia algo errado com ela. Ela sabia que morreria em breve e quis poupar nosso filho dos efeitos de um divórcio - e prolongou a nossa vida juntos proporcionando ao nosso filho a imagem de nós dois juntos toda manhã. Pelo menos aos olhos do meu filho, eu sou um marido carinhoso. Os pequenos detalhes de nossa vida são o que realmente contam num relacionamento. Não é a mansão, o carro, as propriedades, o dinheiro no banco. Estes bens criam um ambiente propício a felicidade mas não proporcionam mais do que conforto. Portanto, encontre tempo para ser amigo de sua esposa, faça pequenas coisas um para o outro para mantê-los próximos e íntimos. Tenham um casamento real e feliz! Se você não dividir isso com alguém, nada vai te acontecer. Mas se escolher enviar para alguém, talvez salve um casamento. Muitos fracassados na vida são pessoas que não perceberam que estavam tão perto do sucesso e preferiram desistir.. Obs.: o texto acima trata-se de um caso real. ( lamentável )

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

A flor da honestidade


Certa vez um príncipe que queria se casar e então decidiu fazer uma disputa entre as moças da cidade para ver quem seria sua esposa. No dia seguinte, o príncipe anunciou que lançaria um desafio. Uma velha senhora, serva do palácio há muitos anos, ouvindo os sobre os preparativos, ficou triste, pois sua filha amava em secreto o belo príncipe.

Ao chegar a casa e contar sobre o desafio a jovem disse que também disputaria casar com o príncipe. A senhora perguntou surpresa:

- Minha filha, o que você vai fazer lá ? As mais belas e ricas moças da cidade estarão disputando.

Mas a jovem não desistiu. Então, finalmente, o príncipe anunciou o desafio:

- Darei a cada uma de vocês, uma semente. Aquela que, dentro de seis meses, me trouxer a mais bela flor, será escolhida minha esposa e futura princesa.

O tempo passou e a doce jovem, como não tinha muita habilidade na arte da jardinagem, cuidava com muita paciência e ternura a sua semente, para poder realizar o seu sonho de casar com o príncipe. Passaram-se três meses e nada surgiu. A jovem tentava de tudo, usava de todos os métodos que conhecia, mas nada crescia. Dia após dia. Seis meses se passaram e nada havia brotado. Consciente do seu esforço e dedicação a moça comunicou a sua mãe que, independente da semente não ter brotado, ela voltaria ao palácio, na data e hora combinadas, para ao menos ficar ao lado do príncipe. Na hora marcada estava lá, com seu vaso vazio, e as outras pretendentes, cada uma com uma flor mais bela do que a outra, das mais variadas formas e cores.

Finalmente o príncipe observa cada uma das pretendentes com muito cuidado e atenção. Após passar por todas, uma a uma, ele anuncia o resultado e indica a bela e humilde jovem, que estava com o vaso vazio, como sua futura esposa. As pessoas presentes ficaram surpresas e revoltadas. Ninguém entendeu porque ele escolheu justamente a moça que não tinha cultivado nada. Então, calmamente o príncipe esclareceu:

- Esta foi a única que cultivou a flor que a tornou digna de se tornar uma princesa. A flor da honestidade. Pois todas as sementes que entreguei estavam estragadas, jamais poderiam brotar.

Se para vencer, estiver em jogo a sua honestidade, perca. Você será sempre um vencedor.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Trajetória: Conheça a História do lápis


O menino olhava a avó escrevendo uma carta. A certa altura, perguntou:

- Você está escrevendo uma história que aconteceu conosco? E por acaso, é uma história sobre mim? A avó parou a carta, sorriu, e comentou com o neto:

- Estou escrevendo sobre você, é verdade. Entretanto, mais importante do que as palavras, é o lápis que estou usando. Gostaria que você fosse como ele, quando crescesse. O menino olhou para o lápis, intrigado, e não viu nada de especial.

- Mas ele é igual a todos os lápis que vi em minha vida!

- Tudo depende do modo como você olha as coisas. Há cinco qualidades nele que, se você conseguir mantê-las, será sempre uma pessoa em paz com o mundo.

"Primeira qualidade: você pode fazer grandes coisas, mas não deve esquecer nunca que existe uma Mão que guia seus passos. Esta mão nós chamamos de Deus, e Ele deve sempre conduzi-lo em direção à Sua vontade".

"Segunda qualidade: de vez em quando eu preciso parar o que estou escrevendo, e usar o apontador. Isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas no final, ele está mais afiado. Portanto, saiba suportar algumas dores, porque elas o farão ser uma pessoa melhor."

"Terceira qualidade: o lápis sempre permite que usemos uma borracha para apagar aquilo que estava errado. Entenda que corrigir uma coisa que fizemos não é necessariamente algo mau, mas algo importante para nos manter no caminho da justiça".

"Quarta qualidade: o que realmente importa no lápis não é a madeira ou sua forma exterior, mas o grafite que está dentro. Portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você."

"Finalmente, a quinta qualidade do lápis: ele sempre deixa uma marca. Da mesma maneira, saiba que tudo que você fizer na vida irá deixar traços, e procure ser consciente de cada ação".

sábado, 25 de setembro de 2010

Envolva-se no círculo do amor divino


Era uma vez uma rica senhora teve seu pneu furado em uma rua deserta, no momento em que passava um humilde rapaz. Ele quase não viu a senhora, com o carro parado no acostamento.Chovia forte e já era noite. Mas percebeu que ela precisava de ajuda. Assim parou seu carro e se aproximou. O carro dela cheirava a tinta, de tão novinho. Mesmo com o sorriso que ele estampava na face, ela ficou preocupada. Ninguém tinha parado para ajudar durante a última hora. Ele iria aprontar alguma? Ele não parecia seguro, parecia pobre e faminto. Ele pode ver que ela estava com muito medo! e disse:

Eu estou aqui para ajudar madame, não se preocupe. Por que não espera no carro onde está quentinho? A propósito, meu nome é Renato.

Bem, tudo que ela tinha era um pneu furado, mas para uma senhora de idade avançada era ruim o bastante. Renato abaixou-se, colocou o macaco e levantou o carro. Logo ele já estava trocando o pneu. Mas ficou um tanto sujo e ainda feriu uma das mãos. Enquanto apertava as porcas da roda ela abriu a janela e começou a conversar com ele. Contou que era de São Paulo e que só estava de passagem por ali e que não sabia como agradecer pela preciosa ajuda. Renato apenas sorriu enquanto se levantava...

Ela perguntou quanto devia. Qualquer quantia teria a sido muito pouco para ela. Já tinha imaginado todos as terríveis coisas que poderiam ter acontecido se Renato não tivesse parado e ajudado. Renato não pensava em dinheiro, aquilo não era um trabalho para ele. Gostava de ajudar quando alguém tinha necessidade e Deus já lhe havia ajudado bastante. Este era seu modo de viver e nunca lhe ocorreu agir de outro modo. E respondeu:

Se realmente quiser me pagar, da próxima vez que encontrar alguém que precise de ajuda, dê para aquela pessoa a ajuda de que ela precisar. E acrescentou: ... e lembre-se de mim. Esperou até que ela saísse com o carro e também se foi.

Tinha sido um dia frio e deprimente mas ele se sentia bem, indo para casa desaparecendo no crepúsculo. Alguns quilômetros abaixo a senhora parou seu carro num pequeno restaurante. Entrou para comer alguma coisa. Era um restaurante muito simples, e tudo ali era muito estranho para ela. A garçonete veio até ela e trouxe-lhe uma toalha limpa para que pudesse esfregar e secar o cabelo molhado e lhe dirigiu um doce sorriso, um sorriso que mesmo os pés doendo por um dia inteiro de trabalho não pode apagar. A senhora notou que a garçonete estava com quase oito meses de gravidez, mas ela não deixou a tensão e as dores mudarem a sua atitude. A senhora ficou curiosa em saber como alguém que tinha tão pouco,podia tratar tão bem a um estranho. Então se lembrou de Renato. Depois que terminou a sua refeição, e enquanto a garçonete buscava troco para a nota de cem reais, a senhora se retirou. Já tinha partido quando a garçonete voltou. A garçonete ainda queria saber onde a senhora poderia ter ido quando notou algo escrito no guardanapo, sob o qual tinha mais 4 notas de R$ 100. Existiam lágrimas em seus olhos quando leu o que a senhora escreveu. Dizia:

Você não me deve nada, eu já tenho o bastante. Alguém me ajudou hoje e da mesma forma estou lhe ajudando. Se você realmente quiser me reembolsar por este dinheiro, não deixe este círculo de amor terminar com você, ajude alguém. Bem, havia mesas para limpar, açucareiros para encher, e pessoas para servir e a garçonete voltou ao trabalho.

Aquela noite, quando foi para casa cansada e deitou-se na cama, seu marido já estava dormindo e ela ficou pensando no dinheiro e no que a senhora deixou escrito. Como pôde aquela senhora saber o quanto ela e o marido precisavam disto? Com o bebê que estava para nascer no próximo mês, como estava difícil! Ficou pensando na bênção que havia recebido, deu um grande sorriso, agradeceu a Deus e virou-se para o preocupado marido que dormia ao lado, deu-lhe um beijo macio e sussurrou:

Tudo ficará bem, eu te amo Renato!

A VIDA É ASSIM . UM ESPELHO . . . TUDO QUE VOCÊ TRANSMITE VOLTA PRA VOCÊ... E GERALMENTE EM DOBRO ... ENTÃO PENSE EM TUDO QUE FOR FAZER

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

A fortaleza do amor está sempre erguida


Fortaleza de Amor

Tabita não era convertida. Simplesmente vivia sua vida pagã sem dedicar sequer um pouquinho de seu tempo à igreja. Mas tinha um viver diferente das demais pessoas.

Pela manhã, quando saía para providenciar o desjejum, sempre encontrava algum necessitado pelo caminho dando-lhe oportunidade para manifestar seu primeiro gesto de amor do dia. Dava-lhe um pedaço de seu pão e aconselhava o necessitado a procurar um modo de vida mais produtivo.

Durante o dia, Tabita era confrontada freqüentemente com as oportunidades de ajudar os vizinhos. Costurava roupas para as mulheres, providenciava alimento para os trabalhadores e até curativo nas feridas dos doentes ela fazia. O orgulho de Tabita era servir ao próximo. E o melhor de tudo é que ela fazia tudo espontaneamente, sem o invólucro inconveniente da religiosidade. Servia
por amor ao semelhante.

Um dia Tabita foi acometida de uma doença repentina, um enfarto fulminante que ceifou sua vida. Os vizinhos ficaram inconsolados. E agora, quem ia lhes dispensar aquele amor? Perguntavam uns aos outros. O desconforto foi tão grande que criaram uma comissão para procurar um profeta. Talvez o profeta pudesse ressuscitar Tabita.

Quando chegaram à presença do profeta, foram logo justificando: - Nossa maior protetora morreu subitamente, a doença conseguiu ultrapassar as muralhas de sua fortaleza. Precisamos de ajuda.

O profeta decidiu ir ao socorro daquele povo contrito, mas não conseguiu entender essa estória de fortaleza. Então perguntou a uma criança que acompanhava o grupo: - Que estória é essa de fortaleza? Ao que o menino respondeu, explicando: - É que dona Tabita dava tanto amor ao povo, que acreditávamos haver uma fortaleza ao seu redor, uma fortaleza de amor.

De fato, o profeta chegou na casa de Tabita, orou e trouxe de volta seu fôlego de vida, dando margem ao povo de acreditarem que prevaleceu em Tabita a fortaleza que ela criara ao seu redor.

A bem da verdade foi essa fortaleza que moveu o povo a buscar ajuda no profeta para uma missão tida como impossível.

Se esta estória parece estranha para você, se você acha impossível que um profeta possa orar e trazer de volta a vida de um defunto, ou se você simplesmente não acreditou que exista alguém capaz de erguer uma fortaleza de amor em seu redor, leia a bíblia, em Atos capítulo 9 versículos 36 a 41.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Uma pequenina luz azul: Ali estava Deus


Marco percorreu por muitos anos em busca de Deus...
Se Deus existia, queria encontrá-lo. Senti-lo em seu coração.
Conheceu muitos lugares sagrados.
Viveu com pessoas que oravam a Deus o dia inteiro; outras que entoavam cantos sagrados a Ele, outras que dançavam para Ele, outras que jejuavam ...
Mas, nunca sentira a real presença de Deus em seu ser.

Um dia, ao entardecer, cansado de tanto procurar por Deus, sentou-se à beira do rio e se pôs a chorar.
Um choro longo e profundo.
Próprio daqueles que tiveram suas esperanças fortemente ameaçadas pela força contrária a sua vontade.
Perguntava-se, entre soluços, como fora possível tantos anos de estudos, meditações, jejuns, danças...
E nunca ter sentido a presença de Deus em seu ser.
E agora? O que iria fazer? O que iria buscar?
Não, não havia mais nada a ser buscado...
Deus também não estaria lá.
Estava esgotado...

Chorou tanto que acabou adormecendo ao lado do rio.
Em seu sono profundo, um sonho, um belo e raro sonho...
Estava dormindo à beira do rio e acordou de repente com a presença de uma pequena luz azul.

Esta luz pairava feito paina a sua frente e Marco pôde sentir, pela primeira vez em sua vida, um sentimento diferente, puro e luminoso.

Marco levantou-se, secando as lágrimas que ainda persistiam e sentiu aquela luz o envolvendo mansamente.

Marco sentiu uma norme paz em seu ser e aos poucos pôde ouvir uma voz serena vinda daquela luz bem próxima aos seus ouvidos, ao seu coração...

E esta lhe falava: Se choras por mim, sentirás dificuldade em me encontrar.
O único caminho para chegares até mim é através da tua alegria, do teu coração aberto, da tua paciência e da tua fidelidade.
Sendo assim, passas a permitir que eu floresça pouco a pouco nos campos do teu coração.
É preciso amar os caminhos que te conduzem até mim com todas as suas lentidões, com suas mudanças repentinas, com seus desvios, sem apressá-lo...
Eu desconheço o tempo, mas conheço cada fio de luz que te compõe.
Viver na Minha Presença significa engrenar no ritmo que move todas as coisas do Céu e da Terra para assim, aprender a desfrutar de cada instante.
Tu és a Minha Criança!
Protege-te docemente, descansa teu ser, que te cuido Eu.
Ter fé é viver o grande no pequeno.
Até o grande Carvalho, um dia, foi suavíssima penugem.
Saiba que aprecio muito mais a fidelidade às coisas pequenas, que estão ao teu alcance, do que as grandes que de ti não dependem.
Relaxa teu espírito, Eu estou contigo.
Sê humilde em tuas aspirações e encontrarás tudo de que necessitas para que não duvides da Minha Presença em teu ser.

Marco chorava sem cessar.
Seu coração fora tocado fortemente.
Sim, aquela luz era Deus a lhe falar!
És a minha criatura, que tanto amo.
Encerra tua dor, pois me tens contigo eternamente.
E assim, a luz desceu silenciosa sobre as mãos de Marco.

Quando Marco acordou, já era noite.
Sentia em suas narinas o vapor doce da água do rio.
A noite era fresca e a lua mansa brilhava no céu.
Lembrou-se do seu sonho e quando viu, uma pedra, pequena e azul ainda brilhava em suas mãos.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Aguardando a visita de Jesus


Era uma noite iluminada... Um anjo apareceu a uma família muito rica e falou para a dona da casa:

- Estou te trazendo uma boa notícia: Esta noite o Senhor Jesus virá visitar a tua casa!

Aquela senhora ficou entusiasmada. Jamais acreditara ser possível que esse milagre acontecesse em sua casa.Tratou de preparar uma excelente ceia para receber a Jesus. Encomendou frangos, assados, conservas, saladas e vinhos importados. De repente, tocou a campainha. Era uma mulher com roupas miseráveis, com aspecto de quem sofria muito..

A pobre mulher disse:


- Será que não teria algum serviço para mim? Tenho fome e tenho necessidade de trabalhar.

A mulher toda ocupada disse:

- Ora bolas. Isso são horas de vir me incomodar? Volte outro dia. Agora estou muito atarefada com uma ceia para uma visita muito importante.

A pobre mulher se foi... Pouco mais tarde, um homem, sujo de graxa, veio bater à porta.

Ele falou:

- Senhora, o meu caminhão quebrou bem aqui na esquina. Não teria a senhora, pôr acaso, um telefone para que eu pudesse me comunicar com um mecânico?

A senhora, como estava ocupadíssima em limpar as pratas, lavar os cristais e os pratos de porcelana, ficou muito irritada:

- Você pensa que minha casa é o que? Vá procurar um telefone público...Onde já se viu incomodar as pessoas dessa maneira? Pôr favor, cuide para não sujar a entrada da minha casa com esses pés imundos!

E a anfitriã continuou a preparar a ceia. Abriu latas de caviar, colocou a champanhe na geladeira, escolheu na adega os melhores vinhos e preparou os coquetéis. Nesse meio tempo, alguém lá fora bate palmas. Será que agora está chegando Jesus? pensou ela emocionada. E com o coração batendo acelerado, foi abrir a porta. Mas se decepcionou. Era um menino de rua, todo sujo e mal vestido...

- Senhora, estou com fome. Dê-me um pouco de comida!disse a criança.

A mulher sem paciência respondeu:

- Como é que eu vou te dar comida, se nós ainda nem jantamos? Volta amanhã, porque esta noite estou muito atarefada... não posso te dar atenção...

Finalmente a ceia ficou pronta. Toda a família esperava, emocionada, o ilustre visitante. Mas as horas iam passando e Jesus não aparecia.

Cansados de tanto esperar, eles adormeceram. Na manhã seguinte, ao acordar, a senhora se viu, com grande espanto, a presença de um anjo.

- Será que um anjo é capaz de mentir? gritou ela. Eu preparei tudo especialmente para Jesus, aguardei a noite inteira e Ele não apareceu. Porque você fez isso comigo? Porque essa brincadeira?

O anjo disse calmamente:

- Jesus esteve aqui em sua casa pôr três vezes: Na pessoa da mulher pobre, na pessoa do caminhoneiro e na pessoa do menino faminto, mas a senhora não foi capaz de reconhecê-lo e acolhê-lo em sua casa...

Uma lição nós devemos aprender: Pratique a bondade sempre, Deus diz quem recebe os meus, a Mim recebe....

domingo, 5 de setembro de 2010

Ratoeira na fazenda: O problema não é meu


A Ratoeira

Um rato olhando pelo buraco na parede vê o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote. Pensou logo em que tipo de comida poderia ter ali. Ficou aterrorizado quando descobriu que era uma ratoeira.

Foi para o pátio da fazenda advertindo a todos:

"Tem uma ratoeira na casa, uma ratoeira na casa."

A galinha, que estava cacarejando e ciscando, levantou a cabeça e disse:

"Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que é um grande problema para o senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda."

O rato foi até o porco e disse a ele:

"Tem uma ratoeira na casa, uma ratoeira."

"Desculpe-me Sr. Rato, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser rezar. Fique tranqüilo que o senhor será lembrado nas minhas preces."

O rato dirigiu-se então à vaca. Ela disse:

"O que Sr. Rato? Uma ratoeira? Por acaso estou em perigo? Acho que não!"

Então o rato voltou para a casa, cabisbaixo e abatido, para encarar a ratoeira do fazendeiro.
Naquela noite ouviu-se um barulho, como o de uma ratoeira pegando sua vítima. A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia pego. No escuro, ela não viu que a ratoeira pegou a cauda de uma cobra venenosa. A cobra picou a mulher.

O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre. Todo mundo sabe que para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja.

O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal.

Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la.

Para alimentá-los o fazendeiro matou o porco. A mulher não melhorou e muitas Pessoas vieram visitá-la.

Muita gente veio vê-la o fazendeiro então sacrificou a vaca para alimentar todo aquele povo.

Na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que o problema não lhe diz respeito lembre-se que, quando há uma ratoeira na casa, toda a fazenda corre risco.


segunda-feira, 30 de agosto de 2010

A QUESTÃO DA CONSCIÊNCIA


Mas nem em todos há conhecimento; porque alguns até agora comem, no seu costume para com o ídolo, coisas sacrificadas ao ídolo; e a sua consciência, sendo fraca, fica contaminada (1 Coríntios 8.7).

A questão da consciência é algo sério. Nessa passagem, Paulo estava falando aos coríntios sobre comer aquilo que é sacrificado a ídolos, que nada são. Uma pessoa de consciência fraca, ao comer essas coisas, poderá ficar contaminada, e outra, vendo um servo do Senhor alimentando-se delas, também poderá escandalizar-se. Nada ganharemos nem perderemos se provarmos ou deixarmos de provar tais oferendas. O problema é que o inimigo trabalha na consciência e, desse modo, faz com que os menos fortes sofram. Fuja de tudo o que possa repercutir mal, porém, faça aquilo que poderá ajudar alguém a se livrar da condenação.

O prejuízo de um mau ensinamento – Há muitos sofrendo por causa de uma voz que os acusa, dia e noite, de terem feito algo que desagradou a Deus. Certo amigo pastor tratou de um homem e sua esposa, cuja igreja ensinava que eles teriam de pedir perdão ao Senhor sempre que se recebessem como marido e mulher. Eles, quando já não agüentavam mais, oravam, choravam diante de Deus e agiam como casal. Depois, a culpa quase os matava. Quando o pastor lhes mostrou que a Bíblia não só permitia a vida íntima deles, mas também a recomendava, sentiram-se livres daquilo que julgavam erro. Quem recebe o ensinamento de que o certo é errado e o errado é certo, se praticar o mal que aprendeu, ficará com uma dor interior que irá esmagá-lo dia a dia.

O mau caminho deve ser evitado – O culto a deuses era muito popular nos dias do apóstolo Paulo. Como hoje, as pessoas adeptas desses rituais fazem festas para aqueles que consideram deuses. Sabemos que há um só Deus e Senhor (1 Tm 2.5a), e existem seres que não passam de espíritos maus, os quais enganam os incautos. Então, por que nos deveríamos assentar à mesa dedicada a eles?

Da mesma forma, por que casais cristãos hospedam-se em motéis? Ora, em nosso país, esses são locais para encontros pecaminosos. É claro que marido e mulher, tementes ao Senhor, podem viajar para ficarem a sós e, assim, melhorarem o relacionamento íntimo, mas, se forem a um estabelecimento desses, um fraco que os vir poderá ficar confuso, escandalizar-se e abandonar o Caminho. O melhor é evitar aquilo que faça alguém se desviar da fé. Não é o local que fará um casal se amar mais, mas, sim, a disposição mental. Então, nada ganha quem vai a motéis e nada perde quem lá não põe os pés.

Devemos evitar que a nossa liberdade atrapalhe algum irmão imaturo. O certo é fugir das coisas que trarão má repercussão. Que todo filho de Deus faça somente aquilo que ajudará o próximo a se livrar da condenação. Ademais, um mau exemplo jamais será esquecido.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

DOIS PASSOS IMPORTANTES


Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele, comigo (Apocalipse 3.20).

O toque de Jesus é importante, pois é o início; mas não é tudo de que precisamos. Ouvir a voz do Mestre é de fundamental importância, bem como abrir a porta para Ele. Ao cumprirmos esses dois passos, o Senhor ceará conosco, e nós cearemos com Ele. Perde muito quem só é freqüentador de igrejas e apenas busca as bênçãos, pois não sabe que há algo mais à espera dele.

Ouça a voz do Mestre – Ao dar ouvidos ao Evangelho, a pessoa responde ao toque do Senhor Jesus, converte-se, passa pelas águas, consegue o dom do arrependimento e o batismo no Espírito Santo. No entanto, isso não é tudo; uma série de experiências abençoadas está apenas começando. Se for ensinada que nada mais pode esperar de Deus, ela pára por aí. Entretanto, aprendendo a ouvir a voz do Mestre, entrará em uma atmosfera espiritual recompensadora.

Abra a porta para Ele – A voz do Senhor se ouve durante a leitura bíblica e pregação da Palavra de Deus, a qual se torna viva, ilumina e dá direção. Às vezes, uma pessoa pode ouvir mesmo – no sentido exato da palavra – a voz divina. Após ter essa experiência, ela deve abrir a porta para o Senhor, o que, em outras palavras, significa procurar fazer a vontade dEle. Toda vez que sentir que o Pai deseja falar a você, dê-Lhe a devida atenção.

A recompensa – A promessa que o Altíssimo fez a seguir é muito grande, quase inacreditável: Ele ceará conosco, e nós cearemos com Ele. Cear com o Senhor é algo que podemos entender, pois Ele é o Pão que desceu dos céus; porém, o fato de Ele cear conosco fica além da nossa compreensão. Penso que, para apreender bem o que isso quer dizer, precisamos da iluminação dEle. Como o Senhor pode cear conosco, se o homem não Lhe dá devida glória? Ou como o Mestre ficará ao lado de alguém que não aceita o testemunho de Deus (1 João 5.11)? Bem, quando o Espírito Santo está sobre a nossa vida, pensamos, falamos e agimos como Ele.

O cristão que não se envolve com o Pai celeste, apenas freqüenta os cultos e cumpre suas obrigações é abençoado, mas perde muito. Há mais de do Altíssimo para ele do que as bênçãos que todos querem receber.

Não queira ficar com menos do que o Filho de Deus tem para você. Quando você e Ele estiverem ceando, sua vida será enriquecida tremendamente, seus valores mudarão, seus alvos serão alcançados, e você irá sobressair-se a ponto dos seus se abismarem. Toda a humanidade precisa que você ceie com o Senhor Jesus.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

BUSQUE ALEGRAR-SE NO SENHOR


Alegra a alma do teu servo, pois a ti, Senhor, levanto a minha alma” (Salmo 86.4).

Aqueles que vencem as batalhas espirituais aprendem a importância da alegria. Se você se lembrar do momento em que recebeu alguma bênção do Céu, verá que, antes de obtê-la, você estava cheio de alegria santa. Não foi à toa que o salmista declarou esse versículo. Ele descobriu essa verdade e, dirigido pelo Santo Espírito, fez o registro dela nas Escrituras. É desse modo que o Senhor quer que você O procure para satisfazer as suas petições, pois aquele que O buscar de outro modo não conseguirá a resposta divina.
Há dois tipos de alegria: a natural e a que vem de Deus. A natural faz um bem tremendo ao nosso corpo. A pessoa que vive amargurada, cabisbaixa, sempre murmurando, obedecendo a Deus e aos seus líderes com o semblante triste, não vê que está dando oportunidade ao diabo de oprimi-la e prejudicá-la. A Escritura é taxativa ao afirmar que só podemos servir ao Senhor com contentamento. Até mesmo o ato de dar uma oferta só traz a recompensa se for feito com o coração alegre (2 Coríntios 9.7).
O Altíssimo, no entanto, é o único que nos pode proporcionar a verdadeira alegria, capaz de inundar a nossa alma. Essa satisfação é pacífica, e somente a possui quem está bem com Deus. Não adianta esforçar-se para conseguir as coisas, se a pessoa não possui a alegria que o Senhor dá. A vida é linda de ser vivida, servir a Cristo é maravilhoso, e estar em comunhão com o nosso Pai é a razão da verdadeira felicidade. Não há nada melhor no dia a dia do que ter em nosso interior esses rios de águas vivas que nos alegram – prova maior de que o Todo-Poderoso está em nós.
Esse regozijo, porém, não é dado de qualquer modo; ele vem quando o Senhor Jesus nos visita. Com Sua presença, nosso coração se alegra. No momento em que a satisfação inunda o nosso ser é o momento de fazermos a oração da fé e tomarmos posse do que é nosso. Ele disse que, quando O amarmos, seremos amados pelo Pai e por Ele, que virá ao nosso coração (João 14.21).
Muita gente se engana pensando que, por se intitular servo de Deus, já tem tudo aquilo de que precisa. É claro que ser servo dEle é uma das melhores coisas que pode acontecer. Entretanto, isso significa fazer a vontade do Altíssimo de todo o coração. Quem não respeita o próximo não tem prazer em servir ao Senhor e apenas faz o que Ele manda, para que não seja taxado de mau obreiro – quando, de fato, é um mau obreiro. Essa pessoa pode jejuar, orar, suplicar pela face de Deus, mas não será atendida. Não podemos desprezar nenhum dos mandamentos divinos.
O coração alegre é um bom sinal. Quando o nosso interior se enche de satisfação, significa que o Senhor está contente com o que temos feito. A verdade é que nunca seremos completos, porém, com a alegria no coração, podemos ver que estamos no caminho certo. Então, basta orar, que Ele mostrará o que precisa ser modificado.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

domingo, 15 de agosto de 2010

CONSELHO DIVINO


“E eu achei uma coisa mais amarga do que a morte: a mulher cujo coração são redes e laços e cujas mãos são ataduras; quem for bom diante de Deus escapará dela, mas o pecador virá a ser preso por ela” (Eclesiastes 7.26).

Nessa passagem bíblica, a Palavra de Deus, certamente, não está falando a respeito de todas as mulheres, mas de uma específica: aquela cujo coração são redes e laços, e as mãos, ataduras. Meu irmão, essa advertência não foi registrada à toa, mas para que todos se precavessem dessa mulher – a qual, na verdade, simboliza não só alguém do sexo feminino com as características descritas no versículo, mas também todo homem que se deixa levar por pessoas desse tipo.
Quem não quiser ter problemas sérios deve agir como os sábios e os prudentes, que se distanciam desse tipo de pessoa, a fim de não se envolverem com ela. De fato, evitá-la é uma grande virtude, porque, por mais que pareça exagero, quem se deixa usar por essa “mulher” experimenta um sofrimento pior do que a morte, pois ela é capaz de levá-lo a sofrer tanto, que, se este tivesse morrido, isso teria sido melhor para ele. Com o seu coração cheio de mentiras, ela enreda qualquer um e, sem medir as consequências dos seus atos – normalmente realizados por meio de engano, maldade e traição –, leva os incautos ao desespero.
Essa pessoa – sedutora em todos os sentidos e presente em qualquer lugar – possui um falar macio e um olhar cativante, além de ser sempre cheia de novidades. No entanto, o pecado habita em seu coração, fazendo-o ser repleto de redes e laços. Na verdade, ela está sempre arrumando algo para surpreender os desprevenidos que cruzam seu caminho.
Alguns cristãos se esforçam para se mostrarem bons diante dos homens – o que é louvável –, mas o melhor é ser bom diante do Pai, porque somente os que atingem essa categoria conseguem esquivar-se desses enviados do inferno para nos fazerem sofrer.
Se você primar por respeitar a Palavra de Deus, verá que esse é o meio seguro de não ser agarrado por alguém nocivo, cujo punho é cheio de ataduras para amarrar os que não buscam fazer de modo correto a vontade divina.
Pense bem: no mundo há muita gente boa. Então, por que se deixar envolver por essa mulher descrita na Bíblia? Ela é um tipo que o Senhor usa para representar os pecadores; portanto, o mais certo é fugir dela. Medite nessa instrução bíblica e se santifique, pois quem continuar no pecado verá, mais cedo ou mais tarde, que não valeu a pena. Não seja mais amigo de alguém do que de Deus nem venda a sua liberdade, a qual foi conquistada na cruz do Calvário com preço caríssimo. Antes, aceite esse conselho divino e siga-o, não desperdiçando a liberdade da santidade, para a qual você foi chamado.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Você vai vencer!!!


Se você não acordou legal hoje, está sem ânimo seu coração está apertado, muitas preocupações, parece que o mundo vai desabar em sua cabeça, nada da certo, você tenta e não consegue, deu vontade de desistir e sumir. Olha só! Calma! Quem sabe você está vivendo o dia mau de sua vida. Não desista ainda, o tempo de cantar vai chegar. As lutas vem mas elas passam; Jesus não disse que a sua vida seria um mar de rosas, sem problemas ou dificuldades
Ele disse: No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo. Eu venci o mundo. João 16-33. Você que está lendo essas palavras,
Jesus venceu, tenha bom ânimo e você também vencerá!

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Derrube o muro que separa você de você mesmo



Escute mais as coisas do coração! Do seu coração! Abra-se para a vida!

E derrube o muro que separa você de você mesmo! Seja verdadeiro! Seja simples! Sempre!

Fique bem atento aos pensamentos que estão alimentando o seu coração e comece a tomar mais cuidado com a qualidade desses pensamentos.

Perceba o que eles estão provocando e o que você tem colhido.

Aceite-se mais! Reconheça-se mais! Trabalhe mais os seus pontos fracos.

E quanto aos pontos fortes, que você sabe que tem, deixe-os ainda mais fortes.

Acalme mais toda vaidade e todo orgulho que é natural sentir, viu?

Domine mais a sua necessidade de parecer ser alguém que não é! Cuide melhor das suas necessidades de ser amado, aceito, considerado, valorizado.

É você que se constrói a cada dia! Por isso, é bom uma auto análise feita por quem mais entende de você: você mesmo!

Fique aberto e disposto a ser uma pessoa melhor, mais tolerante, mais flexível, mais compreensível, mais doce, mais amável, mais humana e solidária!

Vale a pena viver!

E isso você já sabe, por isso, fique do seu lado e seja o seu melhor amigo. E nunca mais se permita ser do jeito que o outro quer, do jeito que a sociedade quer, ok?

Dê mais chance a você mesmo, investindo mais nesse ser maravilhoso que você é! Aprenda a recomeçar porque sempre é tempo e hoje é um novo dia.

Todo mundo tem o seu valor, viu? Ninguém é inferior ou superior a ninguém! Ninguém é menos ou mais!

Coloque-se sempre ao lado da sua verdade, impondo-se dentro de si mesmo! Por você e pra você! Não sofra desnecessariamente, tá?

Bom Dia! Bom Divertimento!


sexta-feira, 30 de julho de 2010

O SEU ALVO



Poderdes perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus (Efésios 3.18,19).

No plano de Deus, todos têm as mesmas oportunidades. O desejo do Senhor é que compreendamos Seu amor, o qual O fez enviar Seu único Filho para nos resgatar do império das trevas (João 3.16; 1 Pedro 2.9). O alvo que devemos atingir é conhecer a largura, o comprimento, a altura e a profundidade desse amor celestial. Isso significa que ainda temos muito a conquistar. Que não sejamos vagarosos nem preguiçosos nessa missão!

Uma coisa é certa: o Senhor não tem preferidos (Atos 10.34). Em Seu coração, temos o mesmo lugar e mesmas oportunidades. O que nos falta é entender quem somos, o que nos pertence e o que Deus nos capacita a fazer (João 14.12). Jamais conseguiremos realizar as obras que Jesus fazia se não chegarmos ao plano espiritual que Ele vivia.

Paulo não estava orando fora da vontade de Deus, pois sabia que, se assim o fizesse, não teria seu pedido atendido. Ele clamava para que todos pudessem compreender perfeitamente o que moveu o Senhor a enviar Seu Filho. Como essa oração precisa ser feita hoje! A maioria das pessoas, simplesmente, não entende o que o Salvador veio fazer e o que, de fato, realizou. Por não compreender isso, elas se tornam religiosas e não praticantes da Palavra.

Para conseguir o esclarecimento do grande amor do Senhor, é necessário colocar isso como objetivo. Então, ao orar e ao meditar no que lhe saltou aos olhos durante a leitura bíblica ou lhe foi revelado ao longo da pregação da Palavra de Deus, fique atento e observe o que lhe está sendo ministrado. Isso alargará e aumentará seu conhecimento do amor divino.

O aprendizado que podemos receber do Pai é ilimitado. Quanto mais o obtemos, mais temos à nossa espera. Por isso, precisamos prosseguir no conhecimento de Deus (Colossenses 1.10) e explorar a largura, o cumprimento, a altura e a profundidade do amor dEle, algo que, provavelmente, mesmo sendo muito dedicados, jamais se esgotará. Mesmo fazendo tudo, como aconteceu com Josué, no final de nossa caminhada, ainda haverá muita terra por conquistar.

O segredo, contudo, é não ser vagaroso nem preguiçoso. Não devemos imitar os preguiçosos que tiram tempo para dormir, tosquenejar e cruzar os braços, sobrevindo-lhes a pobreza como um ladrão (Pv 6.10,11). É preciso ser prudente como as cinco virgens que guardaram o azeite e entraram para as bodas com o noivo (Mateus 25.1-13). Jesus virá e, quando isso acontecer, deve achar-nos acordados e vigilantes!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares